Jean Piaget e as etapas do desenvolvimento infantil

Quando falamos sobre as etapas do desenvolvimento cognitivo infantil, costumam surgir algumas dúvidas de como isso acontece, se é igual para todas as crianças e quais as particularidades de cada uma delas.

Por isso, hoje vamos falar sobre a abordagem do suíço Jean Piaget, cuja teoria sugere que a inteligência muda à medida que as crianças crescem.

Ao longo de toda a sua carreira como estudioso da psicologia evolutiva, Piaget defendeu que o desenvolvimento cognitivo de uma criança não consiste apenas em adquirir conhecimento, mas sim que a criança deve desenvolver ou construir um modelo mental do mundo.

Para ele, as crianças não pensavam como os adultos e, portanto, precisavam ao longo do seu crescimento desenvolver seu próprio aprendizado. Essa teoria revolucionou o modo de compreender a educação dos pequenos e dividiu esse processo em quatro estágios principais:

No primeiro deles, as crianças começam a lidar com a coordenação motora, aprendendo do zero como se movimentar e ter seus primeiros sentidos de equilíbrio. Aqui iniciam o processo de conhecer seu próprio corpo e como ele funciona, conhecer e diferenciar objetos. Além disso, tudo é aprendido com base na experiência ou na base da tentativa e erro.

Já o pré-operacional, é a fase onde surgem os primeiros indícios de socialização, a descoberta da linguagem escrita (desenhos e rabiscos) e a linguística (obtendo maiores frases e palavras a cada dia). Nessa fase o pensamento da criança é totalmente egocêntrico e intuitivo.

Na etapa 3, a do operacional concreto, as crianças já se encontram bem maiores e, portanto, capazes de construir pensamentos mais lógicos e metódicos. O pensamento egocêntrico começa a perder força e a criança passa a ter mais noção do mundo a sua volta e dos eventos que a cercam.

A última etapa, a do operacional formal, marca a transição da criança para a adolescência e a fase adulta, onde a forma escrita e linguística toma forma de maneira mais contundente, permitindo a elaboração de ideias e hipóteses mais amplas, baseadas nas experiências vividas por eles e pelas outras pessoas. Nessa fase a linguagem como principal forma de comunicação se torna rica e o vocabulário começa a tomar forma.

Ah, mas então o desenvolvimento termina depois dos 11 anos? Na verdade, não. Para Piaget, pessoas seguem se desenvolvendo intelectualmente, independentemente da idade que têm. Mas aí, o processo diz muito mais sobre aumentar a gama de informações recebidas e processadas do que construir uma nova maneira de fazer isso.

Então, se você conhece crianças que estão transitando por essas fases, fique atento! Procure identificar essas características e forneça instrumentos para que ela possa ser ainda mais estimulada a se desenvolver plenamente.