No mês do folclore, conheça quatro histórias para compartilhar com seus filhos

Agosto é mês do folclore e uma ótima oportunidade de resgatar nossas manifestações culturais e incentivar as crianças a conhecerem um pouco mais sobre o local onde elas estão inseridas, seus costumes e tradições.

De origem inglesa, a palavra Folklore refere-se às crenças, costumes e histórias tradicionais de uma comunidade, transmitidos oralmente através das gerações. Pode ser representada através da comida, da língua, da arte, da religiosidade, da cultura, da música, da dança e até mesmo das roupas tradicionais de um povo.

Aqui no Brasil, nosso folclore é uma mistura encantadora de histórias indígenas, africanas e europeias, sendo as mais famosas a do Saci Pererê, do Curupira, da Mula sem Cabeça e do Lobisomem, por exemplo, mas existem inúmeras outras.

Vamos conhecê-las?

Boto cor de rosa

De origem amazônica, a lenda do boto cor de rosa fala sobre um animal que sai dos rios em noites de lua cheia e se transforma em um belo jovem, vestido de branco e usando um grande chapéu para esconder suas narinas. Charmoso e conquistador, ele escolhe uma moça solteira para galantear. Segundo a lenda, essas aparições geralmente acontecem nas festividades de junho e, na manhã seguinte, ele se transforma em boto novamente.

Sereia Iara

A lenda da sereia Iara tem origem indígena e conta a história de uma criatura metade peixe e metade mulher que costuma tomar banho nos rios e atrai os homens com sua beleza e sua bela voz. Depois de seduzidos, esses homens são levados para a sua casa no fundo do rio.

Boitatá

A grande serpente de fogo protetora das florestas é mais um personagem importante do nosso folclore. De acordo com a lenda, ela se transforma num tronco em chamas para enganar as pessoas que realizam queimadas nas florestas. Além disso, dizem que quem a olha diretamente nos olhos fica cega. Seu nome tem origem tupi-guarani e significa cobra (boi) de fogo (tata).

Negrinho do Pastoreio

A lenda do Negrinho do Pastoreio possui origem africana e cristã e é muito conhecida no Sul do Brasil. Conta a história de um garoto negro que foi castigado por um fazendeiro por ter deixado seu cavalo fugir, mas recebeu um presente de Nossa Senhora e saiu galopando pelos pampas. Segundo a lenda, o menino também ajuda as pessoas a encontrarem objetos perdidos

E aí, seus filhos gostam de histórias folclóricas? Qual é a preferida deles? Conta pra gente.