Por que as crianças têm amigos imaginários?

Você teve um amigo imaginário na infância?

Pois saiba que essa prática sempre foi muito comum entre as crianças, principalmente entre as meninas, e não há nada de errado com ela. Muito pelo contrário. 

A maioria das pesquisas mostra que ter um amigo imaginário é uma forma saudável de brincar na infância e de ter alguém para conversar e interagir. Na maioria das vezes, esses amigos assumem a forma de um amigo invisível, um animal, um brinquedo ou um bicho de pelúcia, por exemplo.

E para que vocês, pais, possam ficar realmente despreocupados, compilamos os resultados de alguns estudos e listamos os benefícios que um amigo imaginário pode trazer para o desenvolvimento das crianças.

  • cognição social superior
  • maior sociabilidade
  • criatividade impulsionada
  • melhores estratégias de enfrentamento dos problemas
  • maior compreensão emocional

De modo geral, amigos imaginários podem proporcionar ao seu filho amizade, apoio, entretenimento e muito mais. E embora a maioria das pessoas acredite que essa prática é mais comum entre as crianças mais novas – em idade pré-escolar – essa não é uma verdade absoluta. Pesquisas mais antigas descobriram, por exemplo, que 28% das crianças de 5 a 12 anos também tinham amigos imaginários. 

Inclusive, se seu filho compartilhar com você de alguma forma a existência desse “amigo”, aproveite a oportunidade para fazer perguntas sobre ele. Acredite, você pode aprender coisas interessantíssimas sobre seu filho, como seus interesses reais e suas preferências e até algumas referências, já que ele usará esses critérios para formar a “personalidade” do amigo que ele criou. 

Quando colocar limites?

Se seu filho começar a culpar o amigo imaginário por seu mau comportamento, chegou a hora de estabelecer alguns limites, dizendo à criança que ela será responsável por tudo o que ela ou seu amigo imaginário fizerem.

Outra bandeira vermelha a ser observada? Quando a criança passa a preferir o amigo imaginário e não mais os amiguinhos reais. Esse comportamento, na verdade, é bem incomum e costuma ser um sinal de que outra coisa está acontecendo, já que crianças que têm amigos imaginários geralmente tendem a ser mais sociais do que as outras. Por isso, se você perceber que seu filho recusa oportunidades de se envolver com outras crianças e, em vez disso, brinca com o amigo imaginário, talvez algo mais grave esteja acontecendo no seu dia a dia, como casos de bullying ou quadros de ansiedade.

Em que momento isso vai passar?

Alguns pais temem que as crianças com amigos imaginários não tenham uma boa compreensão da realidade, mas isso normalmente não é verdade. Inclusive, a maioria das crianças entende que seus amigos imaginários não existem no mundo real.

Dito isso, é importante ressaltar que cada criança é diferente e possui seu próprio tempo de crescimento e amadurecimento. Portanto, não há como definirmos uma idade ideal para que esses amigos desapareçam. O que podemos garantir, no entanto, é que não há necessidade de se preocupar se uma criança mais velha ainda fala sobre seu amigo imaginário.
Lembre-se que a imaginação, o faz de conta e a fantasia são partes importantes da brincadeira e do desenvolvimento de uma criança. Logo, ter um amigo imaginário está super relacionado a todo esse processo e pode ajudar a criança a explorar relacionamentos e trabalhar sua criatividade.